O BLOG NÃO MORREU!

Estamos atualizando os links quebrados que estão no Blog, por isso pedimos um pouco de paciência. Além disso, propagandas nos vídeos não são do Blog, e sim do site em que os vídeos estão hospedados! Recomendamos usar a extensão Adblock. Obrigada.

Reportagem Especial


Talento versátil

Jaime Camil, de "A Feia mais Bela", fala sobre 


sua carreira na música e cinema

Domingo, 22 de Junho de 2014
Ator, que diz preferir as comédias, já ganhou prêmios importantes como cantor

Jaime Camil no quadro "Nó na Língua", no Programa Eliana
O ator mexicano Jaime Camil ficou conhecido no Brasil pelo papel do executivo Fernando Mendiola, na novela“A Feia Mais Bela”. Apesar disso, ele é um verdadeiro show de versatilidade, e faz sucesso não apenas na televisão, como também no cinema e nas rádios. O DaquiDali bateu um papo com o artista, que contou detalhes de sua trajetória.
A estrela possui em seu currículo mais de 20 filmes, sete novelas, três CDs, quatro séries, muitas peças de teatro, além de já ter atuado como apresentador de seu próprio programa. Eleito o ator mais sexy do mundo pela revista “Glam Mag” em 2013 e 2014, ele também acumula prêmios pela sua atuação na música e nas telas. Seu álbum “Para estar Contigo” venceu o Grammy e EMI latinos e sua interpretação no musical “West Side Story”, de 2004, lhe rendeu o título de Melhor Ator em Musical no Las Palmas de Oro.
DaquiDali: Você já foi administrador de empresas, como migrou para a carreira artística?
Jaime Camil: minha mãe, que é brasileira, era cantora de um grupo chamado “Vox Populi” então eu comecei no cordão umbilical, acho que ela me transmitiu o mundo artístico. Meu pai não queria que eu fosse artista, ele dizia que eu tinha que estudar e ter uma carreira séria, então acho que um pouco por pressão dele eu estudei administração de empresas, mas eu sempre quis cantar, interpretar e ser artista. Eu tinha isso no sangue.
Você começou na rádio, como acabou na televisão e no cinema?
Comecei na radio e fiquei cerca de três anos, em 1990. Uma apresentadora falou comigo porque eu era o editor de um programa de radio que ela conduzia e foi ela quem me convidou para um programa de televisão. Fiz um humorístico por três anos e depois assinei com uma gravadora para fazer um CD, porque também queria cantar. Depois, a Lucero (cantora famosa no México) disse que estava procurando um vilão para uma novela, me chamou para uma audição e eu aceitei. Era o universo falando para mim que deveria seguir o caminho da atuação e não da música, e graças a Deus eu escutei.

O ator como a personagem Eva. Foto: Divulgação
Como ator, você tem preferência por mocinhos ou vilões?
Não, na verdade não. Eu gosto de fazer as pessoas rirem, mas acho que qualquer ator decide ficar num projeto ou não pelo roteiro. Se o script é bom e você gosta de um personagem você toma essa decisão de abraçar e seguir em frente.
No Brasil você é tido como um galã de telenovelas, isso reflete a realidade?
Muita gente acha que eu sou galã de novela, mas minha profissão é ser ator. Tenho 23 filmes e apenas cinco projetos de televisão, três deles de comédia. Esses dramas mexicanos que não tem nenhum episódio feliz, só o primeiro e o último, eu praticamente não faço.
Qual você considera o seu papel mais marcante?
Sem dúvida a Eva, de “Por ela sou Eva”, foi uma personagem muito diferente. Fazer uma mulher é muito legal e eu adorei. Aqui no Brasil é a “Feia mais Bela”, é claro, já está se repetindo muitas vezes e as pessoas não se cansam, está na hora de parar com isso não? (risos).
Como foi o preparo para viver Eva? Foi difícil incorporar uma mulher?
Eu me preparei com uma pessoa que prepara a miss México, para aprender a caminhar, o jeito de me mover e aprendi uns 15 ou 20 gestos que as mulheres fazem. Isso me deu muita segurança. Depois de um mês e meio o personagem já entra nos seus ossos e é muito fácil de fazer.

Jaime Camil como Zapata. Foto: Divulgação
Qual foi a cena que mais te marcou?
Acho que a primeira cena que eu fiz em um filme, que se chama “Zapata – El sueño del héroe", onde meu personagem morre. Foi muito interessante e foi a primeira vez que eu morri. O diretor falou “que bonito é que você possa morrer em uma série e renascer como um outro personagem em um outro projeto” e isso me marcou muito. Me deixou essa sensação muito positiva, de ver mesmo como um renascimento.
Quando você percebeu que estava famoso?
Em a “Feia mais Bela”, ela marcou uma diferença muito grande na minha vida, porque o final bateu recordes, está em segundo lugar de audiência no México com índices históricos, atrás só de um jogo entre Brasil e México na década de 1970, em que o México ganhou. Tem um antes e um depois na minha vida com essa novela, que foi um sucesso por onde passou.
Tem algum artista em quem você se inspire?
Não tanto como inspiração, mas gosto de muita gente e de muitos atores, como Daniel Day-Lewis e Jeremy Irons, mas não é algo que eu queira ser igual ou chegar aonde eles chegaram.
Você procura se preparar com antecedência para um personagem? Como é a elaboração de um papel?
Procuro ter um tempo para me preparar e gosto disso, mas às vezes não tem. Por exemplo, eu moro em Los Angeles e me chamaram para um projeto, que terminei agora, e eu disse que não podia fazer porque era muito rápido. Acabei reavaliando. Cheguei ao México com três ou quatro dias de antecipação e comecei a gravar.
Em quais projetos você está trabalhando agora?
Acabei de gravar “Que Pobres tão Ricos”, que deve chegar ao Brasil, e vamos começar um novo projeto nos Estados Unidos para o canal CW, e é um projeto em inglês, em Hollywood, e isso me deixou muito feliz.
O que você acredita ser essencial para quem busca uma carreira artística?
Perseverança, é uma carreira de resistência e não de velocidade. Tem que ter muita perseverança senão não dá certo. 


Fonte: DaquiDali

2 comentários:

  1. Boa entrevista...Jaime é muito talentoso. como ele disse, ta no sangue!
    Lindoooo*-)

    ResponderExcluir
  2. Lindo e Muito talentoso.

    Adoooro POR ELA SOU EVA e A FEIA MAIS BELA

    ResponderExcluir

Séries

Novelas

Filmes